Anular Divórcio é possível? Saiba aqui!

Escrito por Luciano Batista de Lima
Publicado em 7 jan 22
anular divórcio

Anular divórcio é uma tarefa pouco comum, mas em algumas circunstâncias existem caminhos para fazê-la.

Relacionamentos não têm fórmulas, sobretudo, quando se fala na duração.

Os casais podem conviver por décadas ou por apenas alguns meses e aqueles que são interrompidos de forma precoce, normalmente, são acompanhados pelo arrependimento.

Nesse caso, tem como suspender a separação? É o que você entenderá adiante nesse artigo sobre como anular divórcio.

Anular Divórcio: Quando é possível?

Caso o divórcio já tenha sido formalizado, anular divórcio não é mais uma opção.

Se a separação tenha sido consensual e o processo ainda esteja em trânsito, a anulação é uma possibilidade.

Porém, para isso ser efetivado é necessário que o casal volte a morar junto.

Nessa situação, a justiça não tem como impedir a reconciliação.

Em divórcios litigiosos existem meios para solicitar a anulação da ruptura do casamento.

Mas, se uma das partes tiver sido citada oficialmente, a desistência precisará do seu consentimento formal.

Somente assim é possível voltar atrás da separação, mesmo que ainda não tenha sido averbada no novo documento civil do ex-casal.

É importante contextualizar esse processo, conhecer os principais pontos da Lei 6.515 é a melhor maneira de saber como a justiça procede no país.

A sociedade conjugal pode ser interrompida nas seguintes ocasiões:

  • Falecimento de um dos cônjuges
  • Ao se solicitar a anulação do casamento
  • Em processos de separação judicial
  • Pelo divórcio.

Vale dizer que essas regras são aplicadas para casamentos civis.

A união estável pode ser interrompida e retomada, sem a necessidade de formalização num cartório.

Outro ponto é que o final do relacionamento, aspectos como partilha de bens e guarda dos filhos, também passa por avaliação judicial.

O juiz analisa o regime do casamento e define a maneira correta para divisão de imóveis, veículos, etc.

Por outro lado, de acordo com o Artigo 34 e seu parágrafo 1, o juiz pode não homologar uma separação judicial, se entender que o processo vai prejudicar uma das partes ou seus filhos.

Outros artigos da Lei 6.515 abordam outros aspectos do divórcio, são eles:

  • Art 27 – O divórcio não modificará os direitos e deveres em relação aos filhos
  • Art 31 – Não se decretará o divórcio se ainda não houver sentença definitiva de separação judicial, ou se não tiver decidido sobre partilha de bens
  • Art 32 – A sentença definitiva do divórcio produzirá efeitos de registrada no Registro Público competente.

E quando essa formalização estiver completa, o casal só pode retomar os direitos de uma vida conjugal, realizando um novo casamento, isso é determinado pelo Artigo 33 da norma em questão.

É preciso considerar todos os fatores antes de pedir ou anular um divórcio.

A ideia é evitar transtornos para família e até mesmo um prejuízo financeiro para o casal que resolve voltar atrás na separação.

O que é desarquivamento de divórcio?

Trata-se de um processo necessário quando se busca cidadania em outro país.

Assim, a praxe diz que você precisa transcrever os autos de seu divórcio para garantir o direito da cidadania em outro território.

O primeiro passo do desarquivamento é conhecer o formato da separação, se foi via Extrajudicial ou Judicial.

O trâmite extrajudicial é mais simples, você recorre a um cartório de registro civil para fazer o levantamento.

Inclusive, muitos dos serviços podem ser solicitados online, sem a necessidade de se deslocar para o local.

Já para desarquivar divórcio que aconteceu pela via judicial, é necessário contratar um advogado que fará as solicitações no fórum do município onde o processo transcorreu.

A diferença básica é no tempo de atendimento, pois enquanto no cartório o prazo será reduzido no fórum o desarquivamento pode levar meses.

O registro da cidadania pode ser comprometido, dependendo da demora.

O divórcio não é uma etapa fácil na vida do casal.

Perceba que até depois de sua finalização, alguns processos documentais são influenciados.

Não é tão estranho o pedido para anular divórcio, quando o casal reavaliar seus posicionamentos, objetivos e como podem dar uma chance para uma nova vida conjugal.

Acompanhe mais artigos como esse no nosso blog!

Por Luciano Batista de Lima

Acadêmico de Direito. Experiência: 13 anos de atuação em Cartório de Registro Civil em Santa Catarina, sendo que destes, 8 anos foram como Oficial Substituto.

Comentários

Conteúdos Relacionados

Como emitir agora sua declaração de união estável?

Como emitir agora sua declaração de união estável?

Você sabia que a declaração de união estável é um documento essencial para formalizar a convivência de casais que optam por não se casar oficialmente? Se você está buscando informações sobre como emitir essa declaração, chegou ao lugar certo. Quer saber mais detalhes...

ler mais
Para que serve uma certidão negativa de protesto?

Para que serve uma certidão negativa de protesto?

Se você já se deparou com a necessidade de comprovar a inexistência de protestos em seu nome ou de sua empresa, provavelmente já ouviu falar da certidão negativa de protesto. Essa documentação é essencial em diversas situações, desde processos de obtenção de crédito...

ler mais
Como funciona a comunhão parcial de bens?

Como funciona a comunhão parcial de bens?

Quando um casal decide casar no civil, é preciso escolher o tipo de regime de bens que será formalizado na união, dentre as opções, há a comunhão parcial de bens. A seguir, você saberá tudo em relação a esse tipo de regime, bem como as principais implicações desse...

ler mais